quinta-feira, 31 de julho de 2008

MASSAGENS PROMISCUAS

Fruto de um investigação intensa, descobrimos um vídeo que ilustra o que alguém disse sobre a matéria.
É pois com toda a justiça e em abono da verdade, que compreendemos o que quer dizer " Sabemos como começam mas nunca como acabam".
As massagens são pois um perigo para a saúde, principalmente se o massagista não prezar por uma higiene dérmica ou tão somente não recorrer a tratamento de manicura com regularidade.






video

terça-feira, 29 de julho de 2008

Massagens proibidas nas praias algarvias

Hoje fomos "bombardeados" em quase todos os órgãos de comunicação social com as notícias a que se refere o título.
Nada nos surpreendeu, mas ainda assim, face ao conteúdo dos comentários feitos no jornal semanário "EXPRESSO", no endereço que se transcreve, achámos por bem reproduzir a notícia.

http://clix.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/380524

"Há massagens e massagens", alega Reis Ágoas, da Autoridade Marítima do Sul. "Ninguém sabe como elas acabam". Por isso mesmo a técnica de relaxamento vai ser proibida nas praias algarvias.

Paula Cosme Pinto

Massagens proibidas nas praias algarvias O Sindicato de Massagistas ressalva que os concessionários devem contratar técnicos com habilitações
Nuno Botelho
O Sindicato de Massagistas ressalva que os concessionários devem contratar técnicos com habilitações

Depois da proibição de prática de kite surf e windsurf na Ria Formosa, o Comando Marítimo do Sul volta à carga com uma nova interdição: as massagens nas praias algarvias estão proibidas porque "ninguém sabe como elas acabam". O Sindicato de Nacional de Massagistas de Recuperação (SIMAC) considera a situação "no mínimo caricata".

Em declarações à TSF, Reis Ágoas, da Autoridade Marítima, frisou que esta técnica de relaxamento é "um perigo para a saúde pública", alegando que há "massagens e massagens", pelo que podem terminar em situações mais íntimas.

"Surpreendida com tais argumentos", Maria de Jesus Garcia do SIMAC, considera que "para alguém pensar assim é porque alguma coisa já fez". Ao Expresso, a coordenadora do curso de massagem de recuperação do SIMAC disse ainda achar "totalmente despropositado invocar a massagem como um perigo para a saúde pública", considerando "caricato proibir uma técnica que nem sequer está regulamentada".

A falta de regulamentação é precisamente o que mais preocupa o SIMAC, que ressalva: "neste momento qualquer pessoa pode fazer massagens, tendo ou não formação. É muito importante que os concessionários das praias tenham atenção redobrada às habilitações dos profissionais que contratam".

Concessionários indignados

Também em desacordo com a proibição estão os concessionários das praias do sul. Ao Observatório do Algarve, António Quina, que explora a praia da Terra Estreita, em Tavira, classificou de ridícula a nova interdição: "Este ano, o que nós estamos aqui a fazer é ilegal. É ridículo! É um atentado ao turismo em Portugal".

António Quina defende ainda que "fazer massagens na praia não põe em causa a saúde pública, antes pelo contrário, é uma forma de promover a saúde pública, o lazer e o relaxamento".

terça-feira, 1 de julho de 2008

Operação "Verão Seguro" no Algarve


Segurança reforçada com 609 elementos

O Algarve vai ganhar a partir de 1 de Julho mais 609 elementos policiais no âmbito da operação "Verão Seguro", mas o ministro da Administração Interna garante que a região se mantém uma das mais seguras da Europa.

Lusa

Durante a época de 1 de Julho a 30 de Setembro, o Algarve vai ter mais 419 elementos da GNR, 104 da PSP e 86 da Polícia Marítima, anunciou o ministro Rui Pereira, no âmbito da cerimónia de apresentação "Verão Seguro" para o Algarve, que decorreu hoje em Olhão.

"É um dos programas mais importantes para o policiamento de proximidade. O reforço é muito significativo e em termos líquidos, em relação ao ano passado, significa que vai haver mais 381 homens e mulheres no Algarve", acrescentou o ministro, frisando que este ano o Governo "está a apostar muito fortemente na operação Verão Seguro".

No ano passado, o Algarve teve um reforço de efectivos em menos de 381 polícias, que foram desviados para Lisboa para a missão da presidência portuguesa na União Europeia.

A operação "Verão Seguro" corresponde a uma missão do policiamento de proximidade e uma missão que tem em conta a importância que o turismo balnear no nosso país, explicou Rui Pereira.

O responsável do Ministério da Administração Interna pretende "aumentar o sentimento de segurança" no país através de políticas efectivas, e deu os exemplos do recrutamento de mais dois mil homens para a PSP e GNR e o investimento em instalações, viaturas e armas.

No Algarve, a GNR vai contar com um reforço de um pelotão (24 militares) do Batalhão Operacional (BOP), quatro binómios cinotécnicos, duas esquadras de cavalaria (cinco militares), duas secções BTT (com 11 militares cada) e 295 militares do CFP (em formação).

Já a PSP será reforçada com mais 104 elementos, alguns deles com formação específica para atendimento a turistas, e vai ter seis binómios cinotécnicos e mais 29 viaturas.

O reforço no Algarve vai ser também feito ao nível do controlo da fronteira (aérea externa), com reforço de pessoal no posto de fronteira do Aeroporto Nacional de Faro, devido ao aumento de fluxo de passageiros.

A fronteira Luso-espanhola, nomeadamente no Posto Misto de Castro Marim, também vai ser reforçado, assim como a Polícia Marítima que vai contar com mais 86 militares, quatro viaturas todo-o-terreno e quatro motos de água de salvamento.

Segundo o MAI, o distrito de Faro é um dos distritos portugueses com menos insegurança, contudo a população no Verão quase que quadriplica e daí a justificação para um aumento do dispositivo.

No passado dia 29JUNHO2008, foi noticiado na SIC ONLINE, segundo o Exmo. Sr. Ministro da Administração Interna, a Polícia Marítima iria ser reforçada por mais 86 elementos.

Ficámos espantados!
1º Por finalmente vermos o Ministro que auguramos a tutelar-nos a falar sobre nós;
2º Por o mesmo Ministro estar equivocado!

A Polícia Marítima é militarizada, e conhecendo a nossa realidade não têm capacidade de reforçar o Algarve, durante três meses com 86 elementos, logo o que daqui se extrai, é que foi mal informado.
No entanto acreditamos que vai ser reforçado o dispositivo da Autoridade Marítima e aí, a Marinha, disponibilizará 86 militares(que não são polícias nem estão investidos de autoridade para tal) para o serviço de praias, os quais por sua vez, irão auferir Ajudas de Custo(1.500 Euros/mês) que, se empregues em formação de Polícias Marítimos, daria para aumentar em, aproximadamente 32 Agentes o quadro. Com uma vantagem, teríamos agentes(órgãos de policia criminal) para todo o ano e não para apenas 3 meses.