domingo, 1 de junho de 2008

Pescadores em fúria

01 Junho 2008 - 00h30
Matosinhos - conflitos violentos e destruição na lota
Pescadores em fúria
Dezoito horas de bloqueio na Docapesca de Matosinhos terminaram ontem em confrontos violentos entre armadores, pescadores e polícias. Os agentes, que tinham garantido não agir dentro da doca, invadiram a lota e impediram a saída de uma tonelada de peixe que os armadores, em greve, queriam dar a instituições de caridade.
Em causa estava um diferendo entre pescadores e comerciantes. Muitos vendedores, que já tinham pago o pescado, recusavam a dádiva deste. "Tiveram 48 horas para vender o peixe. É má-fé. Querem aproveitar a nossa greve para especular e ganhar mais. Não sai nada", prometia o armador, José Nunes, pelas 10h00.
Foi após o almoço que o braço-de-ferro, durante o qual os armadores chegaram a ameaçar "queimar tudo", acabou. Quando os pescadores invadiram a lota para dar o peixe, já a PSP os seguia. "Deram uma bastonada num armador. Tentámos apelar, acalmar, não conseguimos", disse Américo Postiga, armador.
O caos instalou-se pelas 15h30. Dentro da lota, pescadores e agentes da PSP e Polícia Marítima esmurravam-se, enquanto os comerciantes choravam o peixe no chão. Um agente ficou ferido com uma caixa de peixe na cabeça. Os ânimos aqueceram e a polícia não conseguia controlar a violência. Alguns queriam ver as anunciadas 20 toneladas de peixe espanhol. "É peixe ilegal, comprado sem facturas, de um barco fura-greves", explicou José Nunes.
Fora do armazém da lota, José Luís Silva, da Associação de Armadores de Pesca do Norte, culpou os comerciantes e o ministro. "Os vendedores preferiam deixar o peixe apodrecer, em vez de o dar aos pobres", afirmou. Ao ministro também não poupou críticas. "Não satisfez as pretensões dos pescadores." Os pescadores desmobilizaram pelas 18h00 e reúnem-se hoje no porto da Póvoa do Varzim.
in "CORREIO DA MANHÃ"



A propósito desta notícia e visionados os noticiários, foi com algum espanto que esta Associação verificou que apenas estavam presentes dois agentes da Polícia Marítima, sendo que só um deles pertencia ao Comando Local de Leixões, os restantes eram camaradas da PSP.
Sabendo-se que a PM já dispõe de pessoal formado em manutenção de ordem pública, o qual tem sido exibido em diversas acções promocionais, fica aqui uma pergunta: Onde estavam eles???



10 comentários:

Pascal disse...

Realmente, essa é uma questão que a todos intriga... "Onde estavam eles?"... Mais uma vez se comprova que há determinadas funções, para a qual a PM não tem capacidade de resposta. Não por incapacidade dos seus operacionais que felizmente vão sendo "pau para toda a obra", mas sim, por falta de efectivos. Como é possível guarnecer uma viatura de intervenção rápida com elementos do Piquete dos vários Comandos Locais, ou então subtraindo às secções da fiscalização? Caiam na realidade! Por outro lado as técnicas de manutenção da ordem pública são funcionais quando aplicadas com pleno conhecimento de causa, de forma organizada, que só se consegue com o respectivo treino. Para além do mais, a condição física e mental dos agente que na sua grande parte não praticam regularmente qualquer actividade desportiva e fazem um sem número de horas de serviço consecutivas, que no último momento são instruídos para guarnecer a viatura de intervenção rápida, não é a melhor, nem pode oferecer bons resultados. Pena que em pleno século XXI ainda se tente vender "banha da cobra". Mas, uma vez mais temos de enaltecer a elevada coragem e espírito de missão dos colegas que estiveram envolvidos naquela missão com toda a coragem e sem arredar pé, que, mesmo sendo apenas dois, conforme noticiado, se aguentaram implacáveis até à chegada dos reforços de outra força de segurança, e que assim continuem a dignificar o trabalho desta Polícia. Para esse um bem haja, companheiros!

Anónimo disse...

Todos sabemos que a Polícia Marítima tem falta de efectivos, e arrasta-se com uma carga horária desumana. Em declarações recentes, o Comando da Polícia referia que "nenhuma missão ficou por cumprir", e que os 4 elementios da P.M. da Régua "são suficientes". No seguimento desta organização "operacional", deduz-se que os Agentes da P.M do Douro também são. Então porque é que só estavam 2 Agentes da P.M. em Matosinhos, numa local que de antemão se previa fossem ocorrer situaçãoes delicadas como as que vieram a suceder? Onde é que está o Policiamento preventivo? Não existe porque o Comando do Douro não tem efectivos suficientes! As situações só vão correndo bem, devido ao elevado empenho dos profissionais. E se algo mais grave acontecesse ( houve um ferido da PSP)? Definitivamente as pessoas têm de ser responsabilizadas pelas posições que tomam, a defender não se sabe bem o quê, contrariando os valores individuais de cada um (Agentes), e pondo em causa um sistema de segurança que é um direito das populações.Os recentes acontecimentos em Matosinhos espelham bem a situação. Era interessante ver os argumentos dos "Operacionais" da estatistica. Que resposta davam aos camaradas da PSP, quando questionaram o que era feito dos restantes elementos da P.M., num local que atempadamente deveriam estar a ser policiado.Digam-nos lá, quantos Agentes da P.M. têm o Comando do Douro, e se mantêm a coragem de dizer que são suficientes.Ou será que a Doca pesca de Matosinhos, por conveniencia da situação já não é a nossa área? Ou então,que vá para lá a PSP que tem mais homens. O resultado advinha-se. Da próxima vez vão tentar reunir o pessoal de folga, e enfiam-nos lá 24 horas seguidas. Mas mesmo assim se alguém por qualquer motivo não atender o telemóvel pessoal, está garantido. Não tem problema que isto é tudo elaborado pela mais fina flor cá da casa. Os mesmos que defendem as estatisticas, e perseguem os profissionais porque o Sr, Comandante "mandou".

Anónimo disse...

Em primeiro lugar os meus parabéns aos camaradas que, apesar de saberem de antemão serem manifestamente insuficientes para esta missão, não se negaram, nem arredaram pé, estes sim eram merecedores de um louvor, pois que desempenharam as suas funções para além do que lhes era exigido.
Mas que era feito das mais de duas dezenas que integram o efectivo local?
E se ainda assim era impossível fazer face a esta contingência de serviço, porque não requisitaram pessoal do restante Comando Regional?
Recordo-me que há cerca de um ano, por ocasião do Festival Aéreo do Rede Bull, por o contingente do Comando Regional se mostrar insuficiente, recorreu-se ao efectivo nacional, deslocando pessoal de todo o país para Leixões e Douro.
Mas e agora, qual foi a diferença, sabendo-se já há uns dias que os pescadores faziam tenções de tal manifestação?
Não é preciso ser inteligente para se saber. O único serviço de polícia que interessa ao Comando Militar da Marinha de Guerra, é aquele que trás dinheiro, os chamados serviços requisitados, os outros, esses, não traz prestígio, daí que não se interessam por eles.
Entretanto vai-nos restando o excelente sentido de missão dos profissionais da Polícia Marítima, pelo menos aqueles que vestem a camisola, para garantir que o nosso nome não caía em descrédito.
Mas voltando aos homens que integram o tal SIR da PM, onde estavam eles, como já alguém disse, dispersos por diversos comandos, sem qualquer treino.
No fim qual o uso de tal investimento? Só como é referido na peça da ASPPM, para efeitos promocionais.
Por isso, é preferível, não termos nada, assim, se as coisas correrem mal, podemos sempre dizer que não temos pessoal, pois que num quadro que não chega para cumprir as missões regulares, em regime binominal, como o Piquete, a fiscalização terrestre e a fiscalização marítima, 24 horas por dia e 7 dias por semana, achar-se que devemos ter um grupo de pessoal de intervenção em Ordem Pública, é utópico.
Um grupo de intervenção de Ordem Pública é composto no mínimo por 6 homens, mais um graduado, devidamente equipados, constituindo assim uma secção.
Ora uma situação destas como a de Matosinhos, necessitava pelo menos de duas secções, fora outras que estivessem de reserva pronta para intervir. Por isso, olhando para nossa realidade humana, é impossível desejar fazer mel sem abelhas.
Lord of Aogardam

Anónimo disse...

Vamo-nos deixar de tretas...
Manutenção da ordem publica é da competencia da PSP e GNR.
A Policia Maritima não tem competencia na manutenção da ordem publica, nós apenas andamos a brincar aos policias maus, querem que deixemos de ser uma policia dotada de competencia especializada nas areas e materias legalmente atribuidas ao SAM. Se não sabem a PSP e a GNR tambem fazem parte do SAM mas com competencias especificas e neste caso aplica-se a ordem publica.
A fiscalização ás lotas é da competencia da GNR-BF.
A PM tornou-se uma policia de papa grupos, papa tudo sem saber bem o que anda a fazer...
O objectivo dos SENHORES dos mares está atingido!
Vamos mas é acordar para a realidade e fazer o que realmente está defenido por lei as competencias da PM.
Qualquer dia a PJ e o SEF tambem vão ter um grupo de bate e foge...
Vamos mas é acordar pra realidade!!!
Um bem haja aos agentes da PM que ainda acreditam em herois...

Megavles

Anónimo disse...

Realmente, alguns Colegas, não sabem que a Doca Pesca em Matosinhos, é de responsabilidade do Comando Local de Leixões, que tem uma dotação de 21 elementos(actualmente), e que apenas tinha um elemento no local. Por sua vez, o Comando Local do Douro reforçou o Comando Local de Leixões com mais um elemento, assim estavam 2 elementos na Doca Pesca, um de Leixões e outro do Douro. Mas fiquem sabendo que o Piquete de Leixões tem 4 elementos por dia.
Em Leixões, onde estavam os outros 19 Colegas????
Esta profissão é dura, mas em Leixões é menos dura do que no Comando Local Douro....... ou em 80 % dos Comandos a nivel Naconal.....

cumprimentos,...

Anónimo disse...

Epá, essa lota de Matosinhos deve ser especial...
Agora algumas lotas são da competencia de alguns Comandos da PM?????
Estou sempre a aprender!!!!

Megavles

Anónimo disse...

Matosinhos.
Leixões.
A elite da PM presta serviço no Comando de Leixões.
Sabiam que os camaradas que se deslocaram a leixões para que os efectivos daquele Comando se mantivessem concentrados no seu supremo serviço sem beliscar a sua rotina de escala, por ordem do Inspector, segundo o encarregado de escalar os camaradas visitantes, foram expulsos da sala de estar do Piquete, com frases "vocês é que quiseram assim..." quando desejavam descansar de um turno de 24 horas?

sabiam que durante todo o período de crise o 2º comandante local de Leixões não efectuou uma única visita ao local?

Porque não se reformam? O que é que os motiva? A competência não será certamente.

Anónimo disse...

Isto é tudo uma palhaçada!!
REDSWAT (Homens de preto), elite da PM...LOL
Digam-me que critério houve na selecção destes homens?!?! O que é que eles são mais, ou menos que os outros?!? Prestaram provas, para mostrarem que são melhores?!? Não digo que não haja lá elementos capazes e com aptidão para aquilo, mas sinceramente, há lá alguns que...sinceramente!!!
Infelizmente esta é uma casa de quintas e quintinhas, onde uns são filhos da Mãe e outros filhos da P***!!! Houve o concurso (que foi mto bem feito) para mergulhadores da PM, as pessoas tiveram 3 meses de curso, para que?!?! Muitos deles (para não dizer todos) nunca mais mergulharam, depois são destacados para longe das familias e ainda por cima são discriminados, por colegas e comandantes sendo inclusive postos de parte em alguns comandos?!?!? Mas afinal o que é isto que raio de Policia somos nós?!?! Onde alguns fazem o que querem e quando querem?!?! Qual o nosso futuro?!?!
Vejam agora os elementos da Unidade Especial de Operações Subaquáticas (UEOS) da GNR, o que quer isto dizer?!?! Para que é que tivemos nós a formar mergulhadores PM?!?! Para estarem á parte, sem treino, sem meios?!? Para que pergunto eu???

Tudo isto deixa qualquer um desmotivado e a pensar onde vamos nós parar?!?!?!

Cumprimentos Camaradas!!!

Anónimo disse...

A PM tem passado, presente e futuro! nada de desmoralizar. a vida é feita de preia-mar e baixamar, não é sempre rosas.
Se a PM faz tudo igual à PSP e à GNR, para que PM? é melhor acabar já! A GNR tem moto de agua? tem s/r de 700 cavalos, radar , etc etc? todo o seu pessoal tem glock e material ASP, o melhor do mundo? entao?
A PM tem tudo o q é material do bom e do melhor! o pessoal (quadro ) está a ser alimentado, este ano nao foi nada mau... a continuar assim, e assim é o compromisso
Por favor deixem-se de tretas, de conversa de grumetes /voz da abita.. A AMN é um sistema com muitas competências e vertentes que precisa do esforço de todos, militarizados da marinha (PM) , militares, militarizados TM, Faroleiros, civis ISN, etc etc... olhem para as capitanias....se desaparecesse de repente tudo o que nao é PM, com os efectivos que existem o que faria a PM? Já napoleão dizia que o exercito caminha sobre o seu estômago, sem cozinheiro nao há soldado....divisionismo nao ajuda a causa, nunca ajudou, nao vai começar agora

Anónimo disse...

e ainda dizem mal da MARINHA